IDENTIDADE CULTURAL E RESILIÊNCIA NAS COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO CASTAINHO E ESTIVAS, GARANHUNS, PERNAMBUCO

Edvânia Valério da Silva Cavalcante

Resumo


RESUMO: A relação homem e mulher tem-se tornado alvo de grande discussão na sociedade, com importância fundamental para diversos setores, no que diz respeito à inserção e aos direitos sociais. Porém, um número considerável de pessoas, tem desconsiderado o valor que ambos os indivíduos possuem para representar os papéis de igualdade. Desta forma, destacando o sexo masculino em maior proporção em diversas atividades e funções e privando o sexo feminino de também desenvolver as suas, com igual totalidade. Assim, cada vez mais as mulheres estão buscando valorização, inserindo-se na sociedade e ganhando espaço nas empresas, buscando sua independência e liberdade. O trabalho realizado teve como objetivo investigar a resiliência da mulher quilombola nas comunidades quilombolas Castainho e Estivas, Garanhuns- PE, um importante recurso para fortalecer as mulheres dessas comunidades, incentivar na busca por valorização e reconhecimento de sua capacidade. Este trabalho, de caráter exploratório, foi realizado por meio de visitas periódicas à comunidade do Castainho e Estivas, partindo também de um levantamento histórico e cultural, por meio de dados bibliográficos. Durante as visitas foram realizadas entrevistas exploratórias estruturadas, registradas por meio de uma câmera filmadora e gravador de áudio com moradoras das comunidades.


Texto completo:

PDF

Referências


ALCÂNTARA, E. Resiliência Urbana de Cidades Costeiras: um recurso para enfrentar as mudanças climáticas – Resiliência comunitária. Relatório Final. Programa Nacional de Pós-Doutorado. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano. Recife, 2014. No prelo.

ALCÂNTARA, E.; BARBOSA, R. R. FURTADO, F; LANCELLOTTI. Vulnerabilities and resilience of communities living in circumstances of risk. In: MIRA, R.G.; DUMITRU, A. (org.) Urban Sustainability: Innovative spaces, vulnerabilities and opportunities. Xoan Vicente Viqueira Institute for Psychosocial Studies and Research. Deputación da Coruña, IAPS International Association People-Environment Studies, 2014.

ALCÂNTARA, E.; CUNHA, P. CAVALCANTI. E. Insurgências contra o capital na disputa pela terra: o Estelita, no Recife e os quilombolas em Garanhuns, PE. In: XVI ENANPUR Espaço, planejamento e insurgências: alternativas contemporâneas para o desenvolvimento urbano e regional. Belo Horizonte, 2015.

CARUSO, Carla. Zumbi, o último herói dos Palmares. 2a. ed. São Paulo: Instituto Callis, 2009. (A luta de cada um).

CAVALVANTE, E. V. S.; ALCÂNTARA, E. A. B. S. Resiliência Comunitária da Comunidade Quilombola do Castainho, Garanhuns-PE. In: X CONNEPI X Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação, 30 de novembro a 03 de dezembro de 2015. Acre, 2015.

CAVALCANTE,E.V.S.; ALCANTARA,E.A.B.S. Resiliência da Mulher Quilombola nas Comunidade Quilombolas, Castainho e Estivas, Garanhuns-PE. In: XI CONNEPI XI Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação, 06 de Dezembro a 09 de dezembro de 2016. Alagoas, 2016.

GROTBERG, E. Introdução: novas tendências em resiliência. In: Melillo, A.; Ojeda, E. S. (org). Resiliência: descobrindo as próprias fortalezas. Porto Alegre: Artmed, 2005.

MELILLO, Aldo; Elbio Nestor S. Ojeda. Resiliência: descobrindo as próprias fortalezas. Editora: Artmed. 2005.

TURATO, E. R. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: construção teórico- epistemológica, discussão comparada e aplicação nas áreas da saúde e humanas. Petrópolis, RJ: Vozes, p.685, 2003.

WALKER, B.; HOLLING, C.; CARPENTER, S. e KINZIG, A. (2004) Resilience, adaptability and transformability in social–ecological systems. Ecology and Society, 9 (2), 5.

WALSH, F. Fortalecendo a Resiliência Familiar. São Paulo: Roca, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Caravana

IFPE - Instituto Federal de Pernambuco