DIVULGANDO A CARREIRA DOCENTE ATRAVÉS DE AÇÕES NO CHÃO DA ESCOLA E DE VISITAS GUIADAS NO AMBITO DA LICENCIATURA EM QUÍMICA DO IFPE – CAMPUS VITÓRIA DE SANTO ANTÃO

Etelino Feijó de Melo, Douglas Salgado da Silva, Danielly Francielly dos Santos Silva, Ayrton Matheus da Silva Nascimento, Kilma da Silva Lima Viana

Resumo


O presente estudo teve como objetivo divulgar a carreira docente em química, para estudantes do ensino médio, através de visitas guiadas e de ações no chão das escolas da rede pública que são parceiras do Programa Internacional Despertando Vocações para Licenciaturas (PDVL). As escolas participantes foram dos municípios de Pernambuco, como: João Alfredo, Salgadinho, Passira, Tracunhaém, Umari (Distrito de Bom Jardim), Limoeiro além da cidade de Vitória de Santo Antão. As visitas guiadas é uma ação do PDVL, a partir do projeto de extensão PIBIX do Instituto Federal de Pernambuco, campus Vitória de Santo Antão, que tem o objetivo de trazer os estudantes para o IFPE e apresentar aspectos relacionados à carreira docente em química, tais como: salas de aula, laboratórios, setores administrativos e o cotidiano de um licenciando em química. As visitas são estruturadas com base no ciclo da experiência Kellyana que possui 5 etapas: Antecipação, investimento, encontro, confirmação ou desconfirmação e revisão construtiva. Ressalta-se que as visitas guiadas ocorrem, em momento posterior as intervenções nas escolas (em que o IFPE vai as escolar divulgar e realizar os trabalhos relativos as visitas). Dessa forma, foram realizadas diversas atividades na área de química, através de jogos didáticos. Os resultados das intervenções foram satisfatórios visto que, antes das intervenções os estudantes não possuíam interesse em seguir a carreira docente por diversos fatores, dentre eles: Desvalorização da profissão, escolas sem estruturas, fatores econômicos e culturais, dificuldades para a aprendizagem de conceitos. Diante das ações vivenciadas no âmbito das visitas guiadas, nota-se que uma amostra de estudantes de cada escola, apresentou interesse em seguir a carreira docente. Assim, nota-se a importância de projetos dessa natureza, no intuito de possibilitar mudanças na realidade presente nas escolas.


Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, E. V. F.; AMARAL, R. M. F.; VIANA, K. S. L. Relações entre as práticas avaliativas e o despertar para carreira docente em Química. In: Congresso Internacional das Licenciaturas – III COINTER - PDVL, 2016, Vitória de Santo Antão. Anais do III COINTER - PDVL, 2016.

ARRUDA et al. Percepção de professores e alunos acerca da carreira docente. In: Congresso Internacional das Licenciaturas – I COINTER - PDVL, 2014, Vitória de Santo Antão. Anais do I COINTER - PDVL, 2014.

BRASIL. Lei de Criação dos Institutos Federais. Lei 11.892 de 29 dezembro de 2008. Brasília: Ministério da Educação, 2008.

CAMPANARIO, J. M., MOYA, A., OTERO, J. C. Invocaciones y usos inadecuados de la ciencia en la publicidad. Enseñanza de las Ciencias, v. 19, n. 1, p. 45-56, 2001.

CUNHA, N. Brinquedo, desafio e descoberta. Rio de Janeiro: FAE. 1988.

FERREIRA, R. As expectativas de professores e licenciandos sobre a carreira e remuneração e a política de valorização do trabalho docente no Brasil. In: 27ª Reunião da ANPED, 2004, Caxambu. Anais da 27ª Reunião da Anped, 2004. V. 1. P. 45-61

FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS, Revista Abril on-line. Atratividade da Carreira docente. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/pdf/relatorio-final-atratividade-carreira-docente.pdf. Acesso: 30/05/2017.

GALIAZZI, M. C. et. al. Objetivos das atividades experimentais no Ensino Médio: a pesquisa coletiva como modo de formação de professores de Ciências. Ciência e Educação, v. 7, n. 2, 2001.

GIL-PEREZ, Daniel. CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Formação de professores de ciências. São Paulo: Cortez, 1993.

GOMES, R. R.; FRIEDRICH, M. A Contribuição dos jogos didáticos na aprendizagem de conteúdos de Ciências e Biologia. In: EREBIO,1, Rio de Janeiro, 2001, Anais..., Rio de Janeiro, 2001.

HUIZINGA, Johan. Homo ludens. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2008.

KELLY, George A. The psychology of personal constructs: a theory of personality. Nova Iorque, EUA: Norton & company, 1955.

KISHIMOTO, T. M. (Org.) Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 1996.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. O jogo e a educação infantil. 1a ed. São Paulo: Pioneira, 1994.

MIRANDA, S. No Fascínio do jogo, a alegria de aprender. In: Ciência Hoje, v.28, 2001

PERDIGÃO, C. H. A, LIMA, K, S. A prática docente experimental de Química no Ensino Médio. In: Congresso Internacional Educação e Contemporaneidade. Anais do IV Educon. Aracaju – SE. 2012

POZO, J. I. Teorias Cognitivas da Aprendizagem. 3. ed. Porto Alegre: Artes médicas, 1998. 284p.

RUIZ, A. I.; RAMOS, M. N.; HINGEL M. Escassez de Professores no Ensino Médio: Propostas estruturais e emergenciais. Brasília. Ministério da Educação, 2007.

SILVA, A. M. Proposta para tornar o Ensino de Química mais atraente. Revista de Química Industrial, Rio de Janeiro, ano 79, n. 731, p. 7-12, 2011.

VIANA, K. S. L. Avaliação da Experiência: uma perspectiva de avaliação para o ensino das ciências da natureza. 202f. 2014. Tese (Ensino das Ciências e Matemática). Departamento de Educação. Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2014.

ZANON, D. A. V.; GEUERREIRO, M. A. S.; OLIVEIRA, R. de. Jogo didático ludo químico para o ensino de nomenclaturas dos compostos orgânicos: projeto, produção, aplicação e avaliação. Departamento de didática, UNESP – SP, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Caravana

IFPE - Instituto Federal de Pernambuco