MULHERES AGRICULTORAS: DINÂMICAS NO ASSENTAMENTO CHICO MENDES EM RONDA – POMBOS – PE

Janaina Nair da Silva, Tiago Edvaldo Santos Silva, Rubenice Maria de Freitas, Maria José de Freitas, Gizelia Barbosa Ferreira

Resumo


Este trabalho ressalta a importância de refletir sobre a invisibilidade do trabalho feminino no mundo rural, visando destacar a força do protagonismo das mulheres agricultoras nos diferentes espaços onde atuam. A importância do papel desempenhado pelas mulheres agricultoras na unidade de produção familiar é uma característica não valorizada não só pelos membros da família, mas também pelas próprias agricultoras, fato esse que ocorre também nos assentamentos da reforma agrária. O não reconhecimento do trabalho da mulher no espaço rural é resultado das desigualdades nas relações sociais de gênero, referindo-se a divisão social do trabalho entre homem e mulher. No Assentamento Chico Mendes, as mulheres se destacam mostrando seu protagonismo na luta pela vida e pelo acesso a terra. O protagonismo dessas mulheres dentro do assentamento perpassa os diferentes espaços, desde o núcleo familiar, assumindo as atividades domesticas e nas funções do campo referente à produção, bem como em outros espaços públicos na tomada de decisão, como associação e feiras agroecológicas. 


Texto completo:

PDF

Referências


ALTIERI, Miguel Angel. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. Editorial Nordan-Comunidad, 1999. .Montivideo. 338 p.

ANDERSSON, Fabiana da Silva. PROCESSOS DE EMPODERAMENTO E AGROECOLOGIA: valorizando o trabalho das mulheres rurais? 2015. 199p. Tese (Doutorado). Programa de Pós Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas – RS - Brasil.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Mulheres na Reforma Agrária a experiência recente no Brasil. 2008. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário. Disponível em:. Acesso em: 17 dez 2017.

BRASILEIRO, Robson Soares. Possibilidade do uso de alguns conceitos de tipos funcionais de plantas na agroecologia: o caso do Assentamento Chico Mendes – Pombos – PE. 2017. Disponível em: Acesso em: 15 Dez 2017.

IBGE, Censo Demográfico 2000 e Pesquisa de Orçamentos Familiares - POF 2002/2003. Disponível em:https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/pesquisas/pesquisa_resultados.php?id_pesquisa=25 Acesso em: 07 Dez 2017.

JALIL, Laeticia Medeiros. As flores e os frutos da luta o significado da organização e da participação política para as mulheres trabalhadoras rurais. 2013. 207p. Tese (Doutorado) Programa de Pós Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro – RJ - Brasil.

MELO, Lígia Albuquerque. Relações de Gênero na Agricultura Familiar: o caso de do Pronaf em Afogados da Ingazeira – PE. 2003. 215p. Tese (Doutorado) Programa de Pós Graduação em Sociologia. Universidade Federal de Pernambuco, Recife - PE - Brasil.

SILIPRANDI, Emma. Mulheres e agroecologia: transformando o campo, as florestas e as pessoas. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2015.

VERDEJO, Miguel Expósito. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Secretaria da Agricultura familiar. Diagnóstico Rural Participativo. Brasília, 2006


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Caravana

IFPE - Instituto Federal de Pernambuco