Práticas Sustentáveis nas Instituições Bancárias? Análise do Subsistema Higiene e Segurança no Trabalho da Gestão com Pessoas

Amanda Raquel DAmorim

Resumo


O objetivo do presente estudo foi analisar as ações de Higiene e Segurança do Trabalho desenvolvido por instituições financeiras na Paraíba, à luz das ações de RH sustentável. Descreveu como são desenvolvidas as ações de Higiene e segurança do trabalho em instituições financeiras da Paraíba na ótica de seu gestor local, e sua compatibilidade com as ações de RH sustentável. A estratégia metodológica fora Pesquisa descritiva tipo estudo de caso múltiplo com abordagem qualitativa. Como resultados com relação à identificação da compatibilidade das 05 ações de Higiene e Segurança do trabalho, desenvolvidas pelas instituições bancárias, consideradas indicadores a serem analisados, são de fato, 03 ações totalmente de RH sustentáveis. Considera-se que as outras 02 ações, são parcialmente sustentáveis. O ambiente interno é tão importante quanto o externo das instituições. Sugere-se às instituições financeiras implementação de um programa de Qualidade de Vida no Trabalho, evidenciando a importância deste programa, com ações sistematizadas, proporcionando um bem-estar efetivo fortalecendo as ações de RH sustentável, compatível com o discurso das organizações.


Texto completo:

PDF

Referências


AKTOUF, O. A Administração entre a Tradição e a Renovação. São Paulo: Atlas, 1996.

______. Administração e Teorias das Organizações Contemporâneas: rumo a um humanismo radical crítico? Revista Organizações e Sociedade, v.8, n.21 maio/ ago. 2001. p. 13-33.

BARBIERI, JOSÉ CARLOS. Inovação e Sustentabilidade: novos modelos e proposições. RAE-Revista de Administração de Empresas, v.50, n. 2, p. 146-154, Abr. /Jun. 2010.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70. (1977).

_______. Análise de conteúdo. Trad. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2002.

BASTOS, A. V. B.; SOUZA, J. J.; COSTA, V. M. F. Programas de qualidade de vida no trabalho em contextos diferenciados de inovação: uma análise multivariada. In: XXX Encontro Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 2006, Salvador, BA. Anais ... Salvador: ENANPAD, 2006.

BOHLANDER, GEORGE; SNELL, SCOTT; SHERMAN, ARTHUR. Administração de Recursos Humanos. São Paulo: Thomson, 2005

BORGES, JULIO DAIO. Fator Humano: A confusão das fronteiras. Digestivo Cultural, v.5, n. 4, p. 41-45, Set./Out. 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 196 de 10 de outubro de 1996. Pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília-DF, 1996.

CIPA- BRASIL. Lei nº 6.514, de 22 de dezembro de 1977. Altera o Capítulo V do Título II da Consolidação das Leis do Trabalho, relativo à Segurança e Medicina do Trabalho. Brasília, DF, 22 de dezembro de 1977. In: Segurança e Medicina do Trabalho. 65 ed. São Paulo: Atlas, 2010. Seção II. p. 2.

CIPA-BRASIL. Ministério do Trabalho. Portaria nº 3214, de 8 de junho de 1978. Aprova as Normas Regulamentadoras – NR – do Capítulo V, do Título II, da Consolidação das Leis do Trabalho, relativas à Segurança e Medicina do Trabalho. In: Segurança e Medicina do Trabalho. 65 ed. São Paulo: Atlas, 2010. NR-1; NR-5; NR-6; NR-7; NR-9; NR-11; NR-23.

D´AMORIM, AMANDA RAQUEL DE FRANÇA FILGUEIRAS. Gestão de Recursos Humanos em organizações sustentáveis: análise à luz do Global Reporting Initiative e da Administração Renovada. 2009. 188 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós- Graduação em Administração, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2009.

GOLDTHORPE, J. H.; LOCKWOOD, D.; BECHHOFER, J. F. The affluent worker: Political attitudes and behavior .Cambridge University Press, 1968.

GIL, A. C. Gestão de Pessoas: Enfoque nos papéis profissionais. São Paulo: Atlas, 2001.

______. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GRI. Global Reporting Initiative. Disponível em:. Acesso em: 16 out. 2016.

GRISCI, C. L.I. Trabalho, tempo e subjetividade: a reestruturação do trabalho bancário. 2000. 314 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2000.

HUST, D.K. Crise e Renovação: enfrentando o desafio da mudança organizacional. São Paulo: Futura, 2016

HONÓRIO, L. C. Cisão e privatização: impactos sobre a qualidade de vida no trabalho de uma empresa de telefonia celular. 1998. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós- Graduação em Administração, CEPEAD/FACE/UFMG, Belo Horizonte, 1998.

INVERTIA. Notícias e Indicadores de Economia e Finanças. Disponível em : . Acesso em: 02 mai 2016.

LIMONGI-FRANÇA, A.C. Qualidade de vida no trabalho: conceitos, abordagens, inovações e desafios nas empresas brasileiras. Revista brasileira de medicina Psicossomática. Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 79-83, abr./ maio/jun. 1997.

______. (Org.). As pessoas na Organização. São Paulo: Gente, 2002.

______. Qualidade de vida no trabalho – QVT: conceitos e práticas nas empresas da sociedade pós-industrial. São Paulo: Atlas, 2004.

MARQUES, A. L; MORAES, L. F. R.; COSTA, R. P.; FERREIRA, J. R. Qualidade de vida e estresse no trabalho em uma grande corporação de polícia militar. Third International Conference of the Iberoamerican Academy of Management, São Paulo: Brasil, 2003. 1 CD-ROM.

MARCONI, M. de A; LAKATOS, E.M. Fundamentos de metodologia científica. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2006

MINAYO MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 4a ed. São Paulo (SP): HUCITEC; 1996.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: 1996.

MORAES, L. F. R. Diagnóstico de qualidade de vida e estresse no Trabalho da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais. Relatório de Pesquisa CNPq. Belo Horizonte: CEPEAD/FACE/UFMG, 2000.

PASA, C. R. ECP-SOCIAL: um modelo de avaliação da performance empresarial. 2004. 277 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção)- Programa de Pós- Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004

SAVITZ, A. W.; WEBER, K. A empresa sustentável: o verdadeiro lucro com responsabilidade social e ambiental. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

SCLIAR M. História do Conceito de Saúde. PHYSIS: Revista Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 17(1):29-41, 2007 29.

SCOPINHO, R. A. vigiando a vigilância: saúde e segurança no trabalho em tempos de qualidade total. São Paulo: Annablume/ FAPESP, 2003.

QUELHAS, OSVALDO LUIZ GONÇALVES; ARIDE, SIDNEY DA SILVA. Gestão de pessoas: perspectiva da sustentabilidade humana. In: II WORKSHOP GESTÃO INTEGRADA: RISCO E SUSTENTABILIDADE – Centro Universitário Senac. São Paulo, 2006

POPE, C.; MAYS , N. Pesquisa qualitativa: na atenção à saúde. 2.ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.

WWF-BRASIL. Sustentabilidade: da teoria à prática. Disponível em: . Acesso em 03 out. 2010.

TACHIZAWA, T.; FERREIRA, V.C.P.; FORTUNA, A. A.M. Gestão com Pessoas: uma abordagem aplicada às estratégias de negócios. 2 ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

VERGARA, S. C.; BRANCO, P. D. A empresa humanizada: a organização necessária e possível. RAE- Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 41, n.2, p.20-31, abr./ jun.2001.

VERGARA, S. C. Gestão de Pessoas. Sao Paulo: Atlas, 1999.

_____. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

ZOCCHIO, A. Prática da prevenção de Acidentes: ABC da segurança do trabalho. 7. ed. Atlas: São Paulo, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Caravana

IFPE - Instituto Federal de Pernambuco