CONSCIENTIZANDO COM O EXEMPLO: PROPOSTAS DE GESTÃO E APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS VEGETAIS NA ESCOLA MUNICIPAL MARIA JOSÉ VICENTE, NO MUNICÍPIO DE BARREIROS-PE

Atacy Maciel Melo

Resumo


A problemática do descarte inadequado e não aproveitamento dos resíduos agroindustriais é uma realidade que deve ser dia a dia repensada e transformada. São desperdiçados todos os dias uma quantidade significativa de resíduos vegetais que poderiam ser convertidos  em alimentos com alto valor agregado. Os resíduos vegetais possuem nutrientes e compostos essenciais para diversas atividades metabólicas do nosso organismo (atividade antioxidante, vitaminas, sais minerais entre outros), o que favorece a sua utilização em diversas formulações de alimentos. Seu aproveitamento deve ser pensado muito além da escala industrial, em casa, no trabalho e na escola, instituição que exerce grande responsabilidade na construção de hábitos alimentares de crianças na fase pré-escolar. Pensando nisso, objetivou-se trabalhar a temática de aproveitamento de resíduos vegetais com pré-escolares da Escola Municipal Maria José Vicente, localizada no Município de Barreiros-PE. Foram utilizadas atividades lúdicas  (teatro de fantoche, contação de histórias, rodas de diálogo, etc,) para se trabalhar com a temática de aproveitamento de resíduos vegetais, degustação de produtos elaborados com resíduos, análise sensorial e físico-química de produtos. A aceitação das crianças e participação ativa durante as atividades realizadas foram a melhor possível, desde as dinâmicas até as degustações. Também se conseguiu a participação ativa dos pais e equipe da escola. Com isso, a iniciativa de aproveitamento de resíduos vegetais no ambiente escolar é uma prática multiplicadora de pensamento e formadora de novos hábitos alimentares que acompanharão a criança para o resto de sua vida, envolvendo não só elas, mas os pais e/ou responsáveis.


Texto completo:

PDF

Referências


ABUD, A. K. S.; NARAIN, N. Incorporação da farinha de resíduos do processamento de polpa de fruta em biscoitos: uma alternativa de combate ao desperdício. Brazilian Journal of Food Technology, Campinas, v. 12, n. 4, p. 257-265, 2009.

AOAC - Association of Official Analytical Chemists. Official methods of AOAC International. 17 ed. Washington, 2002.

BISSOLI MC, LANZILLOTTI H S. Educação nutricional como forma de intervenção: avaliação de uma proposta para pré-escolares. Revista Nutrição, Campinas, v.10, n.2, p.107 – 113, 2000.

DEMAJORIVIC, J. Da política tradicional de tratamento do lixo à política de gestão de resíduos sólidos: as novas prioridades. Revista de Adm. De Empresas, 35 (3), pp. 88-93, 1995.

FERNANDES, F. M. Alimentação e nutrição entre escolares: caso dos alunos de uma escola do município, Vitória – ES. 2006. 49 f. Monografia (Especialização em Nutrição Clínica) - Curso de Pós-Graduação em Nutrição Clínica, Universidade Veiga de Almeida, Vitória, 2006.

FOLCH J; LEES, M,. STANLEY, G.H.S. A simple method for the isolation and purification of total lipides from animal tissues. The Journal of Biological Chemistry, 226: 497–509, 1957.

FRANQUES, A.R.M. Saber 2007. Disponível em http:// www.aprendaki.com.br – Acesso em 14/11/2017.

GIUNTINI, E.B; LAJOLO, F.M.; MENEZES, E.W. Potencial de fibra alimentar em países ibero-americanos: alimentos, produtos e resíduos. Archivos Latinoamericanos de Nutrición.v. 53, n. 1, p. 14-20, 2003.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. 5. ed. São Paulo. 1020 p, 2008.

MAURO, A.K.; SILVA, V.L.M.; FREITAS, M.C.J. Caracterização física, química e sensorial de cookies confeccionados com farinha de talo de couve (FTC) e farinha de talo de espinafre (FTE) ricas em fibra alimentar. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 30, n. 3, p. 719-728, 2010.

NASSER, A.L. Importância da nutrição, da infância à adolescência. In.Educação nutricional na infância e na adolescência. RCN editora, São Paulo, 244 p. Cap 1, p.33- 38, 2006.

OLIVEIRA LF, et al. (2002). Aproveitamento alternativo da casca do maracujá - amarelo (Passiflora edulis F. lavicarpa) para produção de doce em calda. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v. 22, n. 3, p. 1-60.

ORNELLAS, L.H. Técnica Dietética: Seleção e Preparo de Alimentos. 7°ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2001.

RORIZ. F. C. R. Aproveitamento dos resíduos alimentícios obtidos das centrais de abastecimento do estado de Goiás s/a para alimentação humana. Dissertação de mestrado da UFGO, 2012.

RAMOS M; STEIN LM. Desenvolvimento do comportamento alimentar infantil. Jornal de Pediatria, v. 76, supl.3, p.229 – 237, 2002.

RODRIGUES, J. P. M.; CALIARI, M.; ASQUIERI, E. R. Caracterização e analise sensorial de biscoitos de polvilho elaborados com diferentes níveis de farelo de mandioca. Ciência Rural, Santa Maria, v. 41, n. 12, p. 2196-2202, 2011.

SÁ, N. G. Nutrição dietética. 7ª ed. rev. e atual. São Paulo: Nobel, 174 p, 1990.

SANTANGELO, S. B. Aplicação da Farinha de Semente de Abóbora (Cucurbita moschata, L.) em panetone. 2006. 100f. Dissertação de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

RAIMUNDO S. Sustentabilidade: o nutricionista como agente da produção e do consumo sustentável. Revista do Conselho Regional de Nutricionistas da 2ª Região, Porto Alegre, [s.v.], n.22, p.5. 2010. Disponível em: . Acesso em: 12/11/2017.

STONE, H e SIDEL, J.L. Affective testing, In: STONE, H; SIDEL, J. L. Sensory Evaluation Prractices. Academic Press, London, 1993.

TCHAKMAKIAN, L.A; FRAGELLA, V. S. As interfaces da alimentação, da nutrição e do envelhecimento e o processo educativo sob a visão interdisciplinar da Gerontologia. In: Papaléo Netto M. Tratado de Gerontologia. 2ed. São Paulo: Atheneu; 2007. p.469- 78.

Disponível em: . Acesso em: 17/11/2017.

Disponível em: . Acesso em: 16/11/2017.

Disponível em: . Acesso em: 16/11/17.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Caravana

IFPE - Instituto Federal de Pernambuco