VIOLÊNCIA NAS RELAÇÕES DE INTIMIDADE ENVOLVENDO ADOLESCENTES: PERSPECTIVAS E DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO E SAÚDE

Cláudia Fabiane Gomes Gonçalves, Alexiane Mendonça da Silva, Marcella Tibúrcio Maia, Maria Eduarda Almeida Marçal, Geraldo Henrique Xavier Gomes

Resumo


A violência nas relações de intimidade é apontada como uma questão de relevância no campo da saúde. Estudos demonstram uma percentagem significativa de adolescentes que adotam condutas violentas. Objetivo: Promover estratégias de enfrentamento a violência nas relações de intimidade, com ações de intervenções em educação para a saúde. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa descritiva e exploratória, de abordagem quali-quantitativa, transversal. Os dados foram coletados no IFPE no município de Pesqueira/PE. Participaram adolescentes com idade de 15 a 19 anos. A coleta de dados foi realizada por meio de instrumento anônimo e auto preenchível, composto pela escala CADRI e por questões fechadas. Resultados: Indicaram que dos 56 participantes, 21,4% foram vítimas de pelo menos um tipo de violência e 17,9% ter perpetrado no mínimo um tipo, sendo as mais frequentes a violência psicológica e física. Considerações Finais: A VRI na adolescência é um fenômeno frequente e há a necessidade de investimento financeiro em capacitações para os profissionais. É necessário o fortalecimento dos vínculos institucionais, de forma, que o trabalho em rede, contribua com ações de caráter integral, intersetorial e interdisciplinar.


Texto completo:

PDF

Referências


BANDEIRA, Lourdes Maria. Violência de gênero: a construção de um campo teórico e de investigação. Soc. estado., Brasília , v. 29, n. 2, p. 449-469, Aug. 2014.

BARREIRA, Alice Kelly; LIMA, Maria Luiza Carvalho de; AVANCI, Joviana Quintes. Coocorrência de violência física e psicológica entre adolescentes namorados do Recife, Brasil: prevalência e fatores associados. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 233-243, Jan. 2013.

BESERRA, Maria Aparecida et al. Prevalência de Violência no Namoro entre Adolescentes de Escolas Públicas de Recife/PE: Brasil. Revista de Enfermagem Referência, n. 7, p. 91-99, 2015.

BRANCAGLIONI, Bianca de Cássia Alvarez; FONSECA, Rosa Maria Godoy Serpa da. Violência por parceiro íntimo na adolescência: uma análise de gênero e geração. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 69, n. 5, p. 946-955, 2016.

CARIDADE, Sónia; MACHADO, Carla. Violência nas relações juvenis de intimidade: uma revisão da teoria, da investigação e da prática. Psicologia, v. 27, n. 1, p. 91-113, 2013.

DIXE, M. A. C. R.; FABIÃO, J. A. S. A. O. N (amor) o (im) perfeito: avaliação de resultados. LEITÃO, M. N. C. et al. Prevenir a violência no namoro-N (amor) o (im) perfeito–Fazer diferente para fazer a diferença. Coimbra: Unidade de Investigação em Ciências da Saúde-Enfermagem, p. 71-97, 2013.

GOMES, Lucélia Filipa Rodrigues. Violência no namoro na adolescência. Tese de Doutorado. 2017.

KAUKINEN, Catherine. Dating violence among college students: The risk and protective factors. Trauma, violence, & abuse, v. 15, n. 4, p. 283-296, 2014.

MINAYO, Maria Cecília de Souza; ASSIS, Simone Gonçalves de; NJAINE, Kathie. Amor e violência: um paradoxo das relações de namoro e do ‘ficar’ entre jovens brasileiros. Rio de Janeiro:Editora Fiocruz, 2011.

MONTEIRO, A. S. C. Avaliar atitudes para prevenir comportamentos: As atitudes do jovens universitários acerca da violência no namoro. Dissertação (Mestrado) - Universidade do Porto, Porto, 2015.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Relatório mundial sobre violência e saúde. 2002.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Pesquisa para a cobertura universal de saúde. 2013.

SANTOS, J. C. S. M. Conceções e perceções dos jovens em função do género. Dissertação (Mestrado) – Escola Superior de Enfermagem de Coimbra. Coimbra, 2013.

Sebastião J., Alexandre, A. & Ferreira, J. (2010). Adolescência, Violência e Género no Concelho de Cascais. Centro de Investigação e Estudos de Sociologia. Cascais.

VENTURA, Maria Clara Amado Apóstolo. Violência no namoro: Crenças e autoconceito nas relações sociais do género. Modelo de intervenção em Enfermagem. 2015.

WOLFE, D. A. et al. Development and validation of the conflict in adolescent dating relationships inventory. Psychol Assess. 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Caravana

IFPE - Instituto Federal de Pernambuco